terça-feira, 4 de dezembro de 2012

fahim, o meu professor de spinning

caro fahim:

escrevo-te porque sou uma cobardezinha e não tenho coragem de te dizer estas coisas na cara. é que tenho um odiozinho de estimação por ti. não é pessoal. acho que ia ser sempre assim com qualquer professor que desse as aulas de spinning na manhã de 2ª feira. mas então é assim:
esse transe psicadélico tem de parar. são 6 da manhã. de uma 2ª feira. esse transe faz-me doer o cérebro. 
depois quando tu perguntas que género de aula vai ser hoje, é só estúpido. é que tu, fahim, só fazes aulas de resistência.
ainda outra questãozinha. eu sei que te achas a última bolacha do pacote, mas quando dizes que na tua aula não há paragens, é só imbecil. é que nenhum dos outros professores pára. por isso não te sintas especial por isso.
uma coisa mais complicada é que essa tua dentuça enerva-me. às vezes, quando me mandas subir o evereste, e usar a minha imaginação para isso, aquilo que eu imagino é que te falham os braços e partes os dentes no volante da tua "bike" (ah, já agora não é bike, é bicicleta mesmo).

melhores cumprimentos
ana

1 comentário:

  1. :D Que gargalhada dei com o último parágrafo! :D Mt bom!

    ResponderEliminar