segunda-feira, 17 de maio de 2010

carta à nuvem vulcânica

querida nuvem de cinzas vulcânicas:

(conversa de circunstância) então fofinha, tudo bem? quentinho aí por cima? ai que sorte, aqui por baixo nem por isso!
(assuntos que importam) ora bem, se não fosse pedir muito queria pedir-te um favorzinho assim de amiga para amiga (que afinal de contas é o que somos). é que eu já tenho algumas saudades de casa, e portanto se pudesses dar o jeitinho de me deixar lá ir na sexta feira era mesmo óptimo. depois se quiseres até podes aparecer por portugal durante uns diazitos, que é gazeta que eu faço ao trabalho e não dói a ninguém. é que isto de estar aqui na suíça é muito lindo sim senhora, mas passar os meus 25 aninhos aqui não dava com nada. por isso se pudesses fazer o obséquio de te chegares para os lados do pólo norte era mesmo bestial. se quiseres depois levo-te uns chocolatitos que aqui são de trás da orelha. mas só quando estiveres mais arrefecida, que aqui em casa ninguém acha piada aos chocolates derretiiiiidos.* ficamos assim combinadas, certo?
obrigada. um beijinho para cada partícula esvoaçante e até... nunca?!

p.s.- se puderes esquecer aquele "sonsa" ali debaixo eras de facto a maior, saiu-me num momento de irritação.

*piada familiar

1 comentário:

  1. ni tu és a maior!!! que galhofa este texto. raios partam a nuvem!

    ResponderEliminar